Os Tecidos Sustentáveis que Dominarão a Moda em 2024

O assunto sobre sustentabilidade está crescendo muito em desfiles pelo mundo. Marcas e designers estão mostrando que suas criações são cuidadosas com o planeta. O ano de 2023 ficará conhecido por despertar o interesse nas mudanças climáticas. Grandes nomes da moda estão adotando práticas que fazem menos mal ao meio ambiente. Na India, a Lakmé Fashion Week foi um exemplo, mostrando marcas como a Varun Bahl que usaram tecidos sustentáveis. Na China, a ICICLE se destacou na Shanghai Fashion Week, focando em designs feitos de materiais naturais como caxemira, linho e algodão.

O desejo por tecidos sustentáveis só tende a aumentar. Isso irá ajudar a que eles se tornem mais acessíveis no mercado. A busca por esses tecidos ainda é difícil hoje. Muitos tecidos sintéticos são mais comuns. Mesmo assim, a moda está indo em direção a materiais naturais e reciclados. Empresas como a Ginga.Store estão fazendo sua parte. Elas usam materiais como algodão orgânico. Mas, é certo que o custo desses materiais é mais alto.

Principais Destaques

  • O movimento de sustentabilidade ganha cada vez mais espaço nas semanas de moda internacionais
  • Grandes marcas buscam adotar práticas mais sustentáveis em suas coleções
  • Tecidos naturais e fibras recicladas estão ganhando força na indústria da moda
  • Encontrar tecidos sustentáveis ainda é um desafio devido à limitação de oferta e custo mais elevado
  • A demanda por tecidos sustentáveis deve aumentar, impulsionando uma maior disponibilidade no mercado

Movimento Slow Fashion e Regulamentação

O “slow fashion” é um jeito mais cuidadoso de olhar para a moda. Ele busca saídas ao exagero de compra pregado pela “fast fashion”. Esse modo valoriza peças que duram muito, são feitas com carinho e atemporais.Marcas que seguem essa linha muitas vezes escolhem o método “hand-crafted” e são abertas sobre como suas roupas são feitas.Ao mesmo tempo, os governos vêm começando a exigir mais cuidado nas etapas de produção e descarte das roupas.

Combate ao Consumo Excessivo

A União Europeia está liderando esse movimento. Ela quer criar novas regras para a moda, que devem entrar em vigor por volta de 2024. Entre as propostas, está impedir a destruição de roupas e sapatos que sobram, incentivar a reutilização e conserto desses itens.

Também devem criar um documento digital que acompanha o item, mostrando como ele foi feito e qual seu impacto no meio ambiente.

Se isso acontecer, é possível que outros lugares do mundo sigam o exemplo da Europa.

Regulação pelo Governo

As novas leis da UE podem proibir empresas de jogar fora roupas e sapatos que não foram vendidos. Elas também querem ver mais produtos sendo reutilizados e consertados. Os governos estão considerando colocar um documento digital em cada item, que mostra por onde ele passou e como foi feito.

Se a Europa adotar essas regras, outros governos podem fazer o mesmo.

Os Tecidos Sustentáveis que Dominarão a Moda em 2024

Materiais Naturais e Fibras Recicladas

Achar tecidos sustentáveis pode ser complicado atualmente. Isso porque os tecidos sintéticos ainda dominam as prateleiras das lojas. No entanto, a busca por materiais naturais e fibras recicladas só cresce na moda.

Marcas como a Ginga.Store estão na frente desse movimento. Elas preferem usar algodão orgânico, linho e tecidos reciclados. Mesmo com preços mais altos e menos disponibilidade desses materiais, o público aprova. A expectativa é que cada vez mais marcas invistam nesses tecidos, tornando-os mais acessíveis no mercado.

Rastreabilidade e Transparência

A rastreabilidade e a transparência da cadeia de produção se destacam. Os clientes agora querem saber de onde vem o produto e como foi feito. Eles buscam informações sobre os materiais usados, as condições dos trabalhadores e o impacto ambiental.

Por isso, iniciativas como passaportes digitais de rastreabilidade são vitais. Elas ajudam a mostrar como os produtos são feitos. Isso faz com que as pessoas possam escolher bem o que compram. E, ao mesmo tempo, pressionam as marcas a serem mais responsáveis e sustentáveis.

IndicadorDados
Mercado de roupas de segunda mãoPrevisto para representar 10% (aproximadamente $30,6 bilhões) de todas as vendas de roupas nos EUA até 2025 fiscal
Crescimento nas pesquisas por tecido de bambú18% de aumento nas pesquisas nos últimos 12 meses, com 12.000 buscas mensais por pijamas de bambú
Aumento da popularidade de roupas vintageBusca por “roupas usadas” cresceu 328%, atingindo 19.000 pesquisas mensais
Mercado global de athleisureAtingiu $350 bilhões em 2022, com expectativa de chegar a $626,79 bilhões até 2032 fiscal
Crescimento de serviços de aluguel e assinatura de modaA Nuuly experimentou um crescimento de 58% no último ano e atraiu 157.000 buscas mensais
Interesse em impressão 3D na modaImpulsionado pela rapidez nos processos de design e produção, e capacidade de customizar roupas com base em medidas únicas

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre as tendências de moda sustentável para 2024. O “slow fashion” e novas leis estão ficando mais importantes. Eles ajudam a reduzir o consumo exagerado e a fazer a indústria da moda ser mais verde.

Tecidos feitos de materiais naturais e reciclados serão muito usados. Além disso, será fácil saber de onde vieram os produtos que compramos.

É essencial a moda mudar e ser mais amiga do ambiente. Isso é o que querem os consumidores que se importam com o planeta. Juntos, podemos fazer a moda ser melhor para o futuro.

FAQ

What are the main sustainable fabric trends that will dominate the fashion industry in 2024?

In 2024, organic cotton, linen, and recycled fibers will rule. There will also be a big push for transparency in the supply chain.

How is the “slow fashion” movement impacting the industry?

Slow fashion is changing the game. It says no to fast, throwaway trends. Instead, it focuses on making quality, timeless clothes, slowing down the hurry of seasonal changes.

What new government regulations are being introduced for the fashion industry?

The EU is leading the charge in setting new rules. These include not destroying unsold clothes and shoes, asking for items to be more easily fixed and reused, and demanding digital records to track a product’s life story.

How are brands addressing the challenge of finding sustainable fabrics?

Many brands are moving away from synthetics. They are turning to natural and recycled fabrics. Ginga.Store is one example, working hard to use more eco-friendly choices, even if it means they cost more and are harder to find.

Why is traceability and transparency in the supply chain becoming important?

More and more, people want to know where their clothes come from. They care about the workers and the earth. Things like digital records are starting to show the whole story of how a piece of clothing was made.

You may also like...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *